Médico preso em Juazeiro após quebrar dentes e encarcerar namorada responde crime de trânsito no qual morreu enfermeira

Foto: Reprodução

O médico Leonardo Paulo Teixeira Tavares, de 39 anos, o Doutor Léo, já é réu na Justiça Estadual pelo crime de homicídio culposo na direção de veículo automotor, ocorrido em 2011. Quase 12 anos depois, o caso ainda não foi julgado.

Ele dirigia um veículo Chevrolet S10, em alta velocidade, que capotou na BR-116, entre os municípios de Brejo Santo e Milagres, no dia 6 de março de 2011, e causou a morte da Enfermeira Rafaela Melo Rolim. A vítima era namorada de um amigo do médico, que também estava no veículo, além de outro homem. O grupo estava em um sítio, onde acontecia uma festa, e teria ido à cidade de Brejo Santo para comprar bebidas alcoólicas. Na volta, ocorreu o acidente

A denúncia foi recebida pela 2ª Vara da Comarca de Brejo Santo, e o médico virou réu, em setembro de 2012. O Ministério Público do Ceará apresentou os Memoriais Finais no processo, em setembro de 2022, em que pediu a condenação do acusado pelo crime de homicídio culposo na direção de veículo, com o agravante de que ele não possuía Carteira de Habilitação.

A pena, para esse crime, segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), é de detenção de 2 a 4 anos e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor.

A defesa do médico ainda não apresentou Memoriais Finais, no processo. Mas, na Defesa Prévia, o advogado alegou que os fatos “ocorreram de forma diversa do que fora relatado na denúncia”. A defesa alegou que o cliente não estava em alta velocidade e não havia ingerido bebida alcoólica e pediu pela absolvição do mesmo.

 

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais notícias

Publicidade