Mulheres denunciam Médico cardiologista por crimes sexuais em Barbalha: ‘Me abraçou e começou a me beijar’

Foto: Reprodução/EPTV

Duas mulheres afirmam que foram vítimas de crimes sexuais supostamente cometidos por um médico em Barbalha. As duas mulheres procuraram a Polícia Civil e registraram o boletim de ocorrência. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, as denúncias de crimes sexuais são investigados pela Delegacia Municipal de Barbalha.

A paciente de 33 anos, cuja identidade será preservada, relatou que, durante o atendimento, ele trancou a porta do consultório e começou a fazer perguntas sobre sexo. Segundo a mulher, ele disse “que iria arrumar um namorado para ela”.

Após mandar a paciente subir na maca, pediu que desabotoasse a calça; em seguida, abriu o zíper e tocou na genitália dela. A paciente afirma que retirou a mão dele. O médico voltou para a cadeira de atendimento, depois destravou a porta e liberou a paciente.

O caso aconteceu na Policlínica de Barbalha em março deste ano e foi registrado em boletim de ocorrência no mês de outubro. “Nunca imaginei que ia passar por uma situação dessas. Na hora, você fica sem reação. Espero justiça e que ele se afaste do cargo, para que não faça com outras pessoas o que ele fez comigo”, afirma a vítima.

A segunda mulher que procurou a Polícia Civil para denunciar o médico é ex-colega de trabalho dele. A médica afirma que ambos trabalharam juntos no Hospital do Coração do Cariri, em Barbalha. Ela disse que, desde quando o cardiologista descobriu que ela estava solteira, começou a mandar mensagens pelo celular, até que, durante um plantão no hospital, em um momento de descanso, a vítima diz ter sido assediada.

“Eu estava lá no repouso, com as luzes apagadas, ele abriu a porta, não ligou a luz e foi direto para a cama. Ele deitou do meu lado e me abraçou, começou a beijar meu rosto. Eu, sem entender nada, coloquei a mão pro lado e perguntei se ele estava ficando doido. Ele saiu e eu fiquei meio atordoada sem saber o que tinha acontecido”, afirma.

A médica diz que procurou a direção do hospital, mas que nada foi feito em relação ao que aconteceu na sala que os profissionais usam para descansar. “Assim que eu registrei o boletim, eu comuniquei para a direção do hospital. Quando fiquei sabendo que tinha mais casos, continuei comunicando. E ele continuava trabalhando lá normalmente. A tendência das pessoas é normalizar isso, eu que não fui dura o suficiente? Isso é um absurdo. E eu quero que outras mulheres tenham coragem para falar”, afirma.

O Hospital do Coração de Barbalha informou que a direção só tomou conhecimento do caso em outubro deste ano e que o suposto crime foi praticado em 2021. Disse ainda que foi instaurado um processo administrativo e que o profissional está afastado das atividades desde 25 de outubro. O Hospital do Coração do Cariri é referência em atendimento cardiológico na região, com atendimentos pelo SUS.

A direção da Policlínica de Barbalha, que informou que somente irá manifestar-se a partir de notificação oficial, por parte do órgão competente. A policlínica oferece consultas e exames com especialistas pelo SUS para pacientes de Barbalha, Caririaçu, Granjeiro, Juazeiro do Norte e Missão Velha

G1-CE

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais notícias

Publicidade