Com chuvas duas vezes acima da média no Ceará, junho de 2022 se aproxima de recorde histórico

Foto: Reprodução

Mesmo ainda restando pouco mais de uma semana para o fim deste mês, junho já acumula mais que o dobro do volume de chuvas esperado para o período. A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) já registra pluviometria média de 76.6 milímetros, o que representa 104% acima da média histórica, que é de 37.5 mm.

O índice atual se aproxima do recorde estabelecido neste milênio. O mês de junho de 2004 fechou com 79.4 milímetros, o maior volume médio dos últimos 20 anos. O ano de 2022 já entrou no seleto grupo dos mais chuvosos deste milênio. Nestes seis primeiros meses, o Ceará já acumula volume médio de 861.4 milímetros, índice superior 7,6% acima da média anual, que é de 800.6 mm.

Os bons índices são atribuídos à regularidade verificada ao longo deste semestre. Apenas fevereiro fechou abaixo da média histórica. Em todos os outros, os volumes foram positivos. Toda essa chuva garantiu bom aporte aos reservatórios cearenses.

Conforme dados da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), os 157 açudes monitorados pelo órgão já acumulam um total de 4,8 bilhões de metros cúbicos aportados. O volume médio atual dos reservatórios cearenses é de 39,4%, com 38 açudes sangrando e outros 14 com índice acima dos 90%.

Diário do Nordeste

Deixe seu comentário

Mais notícias