Prefeitura de Barbalha registra mais de 100 atendimentos a famílias após fortes chuvas

Foto: Reprodução

A chuva torrencial que atingiu o município de Barbalha, no Sul do Estado, deixou famílias desabrigadas e causou prejuízos em tantas outras, que perderam móveis e eletrodomésticos. Ao todo, 104 famílias precisaram de atendimento após quatro bairros ficaram alagados com a precipitação.

Defesa Civil e Secretaria de Desenvolvimento Social realizam levantamento de quantas famílias foram atingidas. Não há pessoas feridas. Imóveis estão sendo vistoriados para identificar se há risco de desabamento nos locais que foram inundados.

“Estamos com equipe para monitorar se tem alguma área com casas que possam cair e a gente trabalha nessa frente para que possamos proteger a vida das pessoas”, disse o prefeito do Município, Guilherme Saraiva, em entrevista à TV Diário e à Rádio Verdes Mares na tarde desta quarta (13).

Abrigo emergencial

O Município montou um abrigo emergencial na Escola Josefa Alves, no bairro Santo Antônio, para abrigar as pessoas que não poderão ficar em suas casas. Até o momento, quatro famílias foram encaminhadas para lá. Um ponto de apoio também foi criado na sede da Secretaria de Desenvolvimento Social.

“Aqui receberemos mantimentos, roupas, comida, alimentos ou qualquer outra coisa que a população em geral possa doar para as pessoas que foram atingidas”, pontuou a assessoria de comunicação de Barbalha.

Ainda segundo o prefeito, o município faz a identificação das famílias prejudicadas para serem atendidas pelo aluguel social. Os desabrigados em virtude das fortes chuvas também receberão alimentação na Cozinha Comunitária, no bairro Malvinas, e haverá distribuição de mantimentos na Creche Monsenhor Murilo (Rua R-22, bairro Bela Vista).

O secretário de Infraestrutura e Obras de Barbalha, Antônio Everardo, explica “que todos esses estragos foram causados por uma forte chuva localizada e que caiu em um curto intervalo de tempo, entre 4 e 6 horas da manhã”.

Ainda segundo ele, as precipitações ultrapassaram a marca dos 140 milímetros. Oficialmente, a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) registrou chuvas de 51 mm entre as 7 horas de ontem (12) e 7 horas de hoje.

Máquinas fazem limpeza das vias

Tão logo as chuvas cessaram, teve início uma força-tarefa do Município. Uma das frentes realizou a limpeza de vias e desobstrução do Canal do bairro Bela Vista, que transbordou durante as cheias. A assessoria de comunicação informou que um trecho do canal “será destruído” para garantir maior vazão das águas.

“As maninhas são muito pequenas para o grande volume de água. Então, como medida emergencial, vamos destruir o trecho para aumentar a vazão e posteriormente reconstruímos de forma a atender a futuras grandes chuvas que possam vir”, detalhou a assessoria.

Essa intervenção, ainda segundo o Município, não impactará o trafego de veículos no local, nem colocará a população em risco.

Danos

Os bairros Cirolândia, Conjunto Nossa Senhora de Fátima e Malvinas foram os mais atingidos. A secretária do lar, Jocicleide Felix da Silva, mora neste último. Ela relata que teve a casa inundada e, por pouco, não perdeu tudo. “Era por volta de 6 horas, foi tudo muito rápido. Logo a água passou de meio metro de altura”, conta.

Ainda conforme relata, “várias casas” do bairro ficaram alagadas. “Teve gente que perdeu móveis e eletros. Fazia muitos anos que não víamos uma chuva tão forte como esta”, completa.

Diário do Nordeste

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais notícias

Publicidade