Juazeiro e Barbalha têm 50% das notificações positivas para casos de chikungunya do Ceará

A principal forma de transmissão da Chikungunya é pela picada dos mosquitos Aedes aegypti. Foto: reprodução

Os Casos de chikungunya no Ceará cresceram cerca de 165,4% em 2022 comparado ao mesmo período de tempo do ano anterior. O salto foi de 738 para 1.869 ocorrências das doenças, destes, 73,0% foram de dengue e 25,7% foram de chikungunya.

A Superintendência Regional de Saúde (SRS) do Cariri destacou que foram notificados 2.082 casos de dengue e 1.356 casos chikungunya na região. No Cariri estão em alerta Crato, Juazeiro, Barbalha e Brejo Santo. A análise do SESA demonstra que Barbalha e Juazeiro estão com mais de 50% das amostras coletadas positivas para chikungunya.

Durante o mês de fevereiro foi iniciada uma operação fumacê no Cariri, para combater o Aedes aegypti, causador das doenças. O combate ao mosquito também é realizado pela população, é importante estar atento a recipientes ou locais descobertos que possam acumular água podem virar criadouro do inseto principalmente em períodos chuvosos.

Apesar de serem transmitidos pelo Aedes aegypti, cada arbovirose têm sintomas diferentes. Fique atento, febre alta e fortes dores nas articulações podem ser sintomas de chikungunya, enquanto febre com náuseas e vômitos podem ser sintomas de dengue. Procure uma unidade de saúde próxima para receber o tratamento adequado.

Deixe seu comentário

Mais notícias