Covid-19: média móvel de mortes no Ceará segue abaixo de um óbito há 14 dias

Foto: Thiago Gadelha

O Ceará mantém o registro de média móvel de mortes por Covid-19 abaixo de um desde o dia 14 de abril. O dado considera a média de óbitos dos últimos sete dias e é usada por especialistas para fazer uma análise mais consistente sobre o atual cenário da pandemia, evitando que um dia atípico interfira no acompanhamento dos indicadores da crise na saúde.

Neste ano, o dia 24 de janeiro registrou a maior média móvel de mortes, com marca de 43,57 óbitos. Desde então, a estatística vem apresentando queda. Na segunda quinzena de fevereiro, a média móvel chegou a registrar números abaixo de 20, enquanto desde o início de fevereiro os dados têm se mantido em patamar inferior a 10 episódios.

Desde o começo da pandemia, o maior índice foi registrado no dia 22 de maio de 2020, quando a média móvel se aproximou de 140. Nessa data, ainda não havia vacina contra a doença e a forma de tratamento encontrava maior indefinição entre a comunidade médica.

Já em relação ao número de casos confirmados, o Ceará também tem apresentado queda contínua desde o fim de janeiro deste ano — mês que registrou a maior média de casos desde o início da pandemia, com média de mais de 10 mil registros no dia 19 de janeiro. Desde o dia 10 de março, contudo, os números têm se mantido abaixo da média de 100 casos confirmados. Nos cinco primeiros dias de abril, a média ficou próxima de 40 casos.

Ocupação de leitos

No total, 18 de 25 leitos infantis ativos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) estavam ocupados nesta terça-feira, 26, por pacientes com Covid-19 — equivalente a 72% de ocupação. Já nas enfermarias, a taxa de equipamentos em uso é ainda maior, com 90,5% dos leitos preenchidos (191 de 211 ativos).

Embora tenha registrado quantidade significativa de leitos ativos na terça-feira, os dados dessa quarta-feira, 27, do IntegraSUS indicavam que não havia mais leitos destinados a crianças em funcionamento. O POVO contatou a Sesa para saber se os números estão corretos e aguarda resposta.

Em relação aos números referentes à enfermarias e UTIs para adultos, não há nenhum paciente com Covid-19 realizando tratamento com terapia intensiva, enquanto somente 1,96% das enfermarias estão ocupadas — uma de 51 que estão ativas. Desde pelo menos o início de abril, o número da ocupação de UTIs — destinadas a todos os públicos — tem ficado abaixo da metade dos leitos ativos. O balanço considera todas as unidades que tratam pacientes com a doença tanto na rede pública como no setor privado.

O Povo

Deixe seu comentário

Mais notícias

Publicidade