Camilo Santana faz último ato como governador, na sua terra natal, em Crato

Camilo Santana (PT) escolheu a cidade onde nasceu, o Crato, para o último ato como governador do Ceará. Em um emocionado discurso de despedida, ele elogiou a vice e próxima governadora, Izolda Cela (PDT), agradeceu ao antecessor, Cid Gomes (PDT), e bateu no presidente Jair Bolsonaro (PL). O evento marcou a inauguração do Centro Cultural do Cariri.

“Quero encerrar aqui as minhas palavras pedindo a Deus que nos abençoe, que nos guie, que guie o Estado do Ceará, que guie esse Brasil, porque nós precisamos mudar de rumo e de rota, porque ninguém aguenta mais esse presidente da República fascista que tem aí”, afirmou, enquanto o público começou a gritar “fora, Bolsonaro”.

“Vocês nunca me viram agredir ninguém”, justificou-se Camilo. “Vocês sabem que eu não sou de falar de ninguém. Eu respeito a autoridade do presidente, mas ele deveria respeitar a autoridade dos estados. Ele quebrou o pacto federativo”, prosseguiu ele.

O ainda governador fez ainda referência emocionada ao Cariri. Ele escolheu propositalmente a cidade onde nasceu para encerrar o mandato. Horas antes, passou por Barbalha e Juazeiro do Norte. “Eu devo muito a vocês. Só ganhei a eleição de 2014 porque o Cariri me deu a vitória naquela eleição  disputadíssima. Foi o cariri que me elegeu naquela eleição”, recordou.

E falou especificamente da terra natal. “Meu amor pelo Crato é tão grande que eu fiz com que meu filho José viesse nascer aqui no Crato, no mesmo hospital em que eu nasci”.

Outro momento no qual ele estava muito emocionado foi ao falar do senador Cid Gomes. Pessoa que, segundo descreveu, “deu a missão a mim e à Izolda”. “Substituir o Cid não era fácil. Mas saiba, Cid, que eu dediquei toda a minha energia, todas as minhas forças e lutei todos esses dias para honrar o voto do povo do meu Estado do Ceará”.

Novamente se emocionou ao falar do irmão, Tiago Santana. Camilo atribuiu a ele as realizações na área da cultura e enfatizou que Tiago colaborou voluntariamente ao longo dos sete anos e três meses de mandato.

Sobre Izolda Cela, repetiu que ela esteve ao lado dele em todos os momentos. E reforçou que se torna a primeira mulher a governar o Ceará. “Não tenho dúvida de que será uma extraordinária e grande governadora”, defendeu.

 O Povo

 

 

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais notícias