‘Só quero justiça’, diz irmão de estudante de Medicina de Lavras morta na Paraíba. Suspeito segue para penitenciária

Foto: Reprodução

O corpo da estudante cearense de Medicina, Mariana Tomaz de Oliveira, de 25 anos, foi enterrado, neste domingo (13), em Lavras da Mangabeira, onde vive a família da jovem. Ela foi encontrada morta em um apartamento, nesse sábado (12), em João Pessoa, Paraíba.

Pelas ruas do município do Interior do Ceará dezenas de pessoas se juntaram aos amigos e familiares para prestarem as últimas homenagens à universitária. O corpo foi velado na casa dos parentes e, em seguida, seguiu em cortejo até a Igreja Matriz de São Vicente Férrer. A previsão é que ele seja sepultado no cemitério local.

“Sempre vamos lembrar de Mariana com um sorriso, serena, doce, e é só isso que temos que guardar na nossa lembrança. Mas a gente quer justiça. Lavras não vai se calar, nós mulheres não vamos nos calar, a família de Mariana não vai se calar. Nós queremos justiça”, frisa a amiga da estudante, Sabrina Severo.

O suspeito do assassinato da estudante cearense de Medicina, Mariana Tomaz de Oliveira, deve ser transferido para a Penitenciária de Segurança Média Juiz Hitler Cantalice, em João Pessoa, Paraíba. A jovem foi encontrada morta em um apartamento, nesse sábado (12), na capital nordestina.

A advogada que representa a defesa da vítima, Dayane Carvalho, que a audiência de custódia de Johannes Dudeck foi realizada neste domingo (13). Na ocasião, ficou decidido que ele deve ser encaminhado para a unidade prisional. Ele possui nível superior.

Apontado como principal suspeito do caso, o homem foi preso preventivamente e está na carceragem da Central da Polícia Civil de João Pessoa. Segundo alguns amigos da vítima relataram à família dela, ele chegou a sair com a universitária algumas vezes, mas eles não estavam em um relacionamento sério.

Diário do Nordeste

Deixe seu comentário

Mais notícias