Icasa contra-ataca, ganha 1ª batalha, e TJDF retira julgamento de pauta

Foto: Reprodução

O Campeonato Cearense de 2022 pode ganhar mais uma celeuma sem precedentes. Depois da suspeita de manipulação de resultados, de jogo suspenso, de atleta escalado de forma irregular e de um novo clube rebaixado surgir, a situação pode se agravar ainda mais.

O Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol do Estado do Ceará (TJDF) aceitou o pedido do Icasa e retirou de pauta o julgamento do Verdão, que poderia definir o rebaixamento da equipe por ter escalado o jogador Leandro Mendes de forma irregular, quando o atleta deveria estar suspenso.

O argumento do departamento jurídico do Icasa foi de que um dos cartões amarelos recebido pelo atleta Leandro Mendes havia sido na partida diante do Crato. Como se sabe, o Crato está envolvido em uma suspeita de manipulação de resultados e há um inquérito em andamento, inclusive no Ministério Público e no próprio TJDF.

Dessa forma, se for comprovado que as partidas do time do Crato tiveram realmente manipulação, os jogos devem ser anulados. Assim, o Icasa argumenta que o cartão de Leandro Mendes não existiu e escaparia de uma provável queda para a Série B Cearense.

Para completar, o Campeonato sofreria uma nova reviravolta, com mudanças na tabela de classificação, inclusive dos quatro clubes classificados para as quartas de final. O Maracanã, que empatou os 2 jogos contra o Crato e terminou a 1ª fase em 5º lugar, subiria para a 3ª colocação com o Pacajus em 4º e o Iguatu fora das quartas de final.

Vale lembrar que em partidas anuladas, a Justiça Desportiva determina que os jogos sejam realizados novamente (vide Série A do Brasileiro de 2005). Como o Estadual de 2022 já está na fase semifinal, não seria mais possível realizar as partidas (EM TESE) anuladas. Com isso, o Campeonato Cearense ficaria sub judice até nova decisão da Justiça Desportiva.

Para fechar de vez, o Blog apurou que dirigentes dos clubes no Cariri argumentam que Ceará e Fortaleza deveriam sofrer as mesmas regras de rebaixamento que os outros participantes do Estadual. A fórmula de disputa do Campeonato foi aprovada em reunião no Conselho Técnico com os 10 clubes participantes.

No entanto, os dirigentes explicam que para Ceará e Fortaleza terem esse privilégio – de entrarem apenas nas quartas de final e ainda não sofrerem com rebaixamento -, seria necessário a aprovação por unanimidade no Conselho Técnico. O que não ocorreu. Icasa, Ferroviário e Atlético votaram contra essa regra no regulamento do Estadual.

O Ceará, que fez apenas os 2 jogos das quartas de final, conquistou apenas 3 pontos, menos que o Crato, último colocado e que marcou 5 pontos em 14 jogos da 1ª fase.

Blog do Kempes

Deixe seu comentário

Mais notícias

Publicidade