CREMEC afirma que médico que operou a influencer Liliane Amorim não era autorizado para o procedimento

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Ceará (CREMEC) divulgou relatório onde aponta que o médico Antonio Benjamim Alencar Oliveira não possuía autorização para promover cirurgia plástica no Ceará. Ele foi o responsável pelo procedimento que resultou na morte da digital influencer Liliane Amorim dos Santos, 26 anos, que morreu no dia 24 de janeiro de 2021

Lilliane morreu por infecção após perfuração no intestino. Ela passou por uma lipoaspiração no dia 9 de janeiro do ano passado, voltou ao hospital no dia 15 após complicações e faleceu nove dias depois. De acordo com o documento, “os médicos só poderão exercer a medicina quando devidamente inscritos no Conselho Regional de Medicina sob cuja jurisdição situe-se o local de sua atividade”.

O documento é assinado pelo Conselheiro Sindicante, José Málbio Oliveira Rolim. Agora, a advogada da família vai inserir tal documento nos autos do processo que tramita na Comarca de Crato já que a cirurgia foi realizada no Hospital São Raimundo naquele município.

Deixe seu comentário

Mais notícias