Ceará perdeu 1 a cada 16 idosos acima de 90 anos vítimas de Covid na pandemia

Quem tem mais idade – devido à fragilidade do sistema imune e associação com outras doenças – está mais vulnerável à Covid-19. No Ceará, pessoas com mais de 90 anos concentram os óbitos entre idosos: foram 2.097 perdas desde o início da pandemia. Em um grupo estimado em 33.265 indivíduos, isso significa que um a cada 16 nonagenários morreu por causa do coronavírus.

A faixa etária entre 70 e 74 anos têm o maior número total de óbitos (3.392). Mas, nesse caso, a proporção é de 1,5% do grupo estimado em 227.318 indivíduos. Ao todo, 19.199 pessoas acima de 60 anos tiveram a vida interrompida pela doença desde o início da pandemia.

“A causa principal da maior vulnerabilidade dos idosos se dá pela queda da imunidade com a idade. Isso se faz mais presente quando você tem associada outras questões sociais”, aponta Lígia Kerr, epidemiologista e professora na Universidade Federal do Ceará (UFC).

O reforço vacinal também contribui para evitar o surgimento de variantes fora do alcance de proteção dos imunizantes já disponíveis para a população.

Diário do Nordeste

Deixe seu comentário

Mais notícias

Publicidade