Vereador chama professores de “gulosos” durante votação de reajuste salarial em Iguatu

O vereador Rômulo Fernandes (PSD), de Iguatu, chamou os professores da rede pública municipal de “gulosos”, durante um protesto por reajuste salarial da categoria. O caso ocorreu na sessão da terça-feira (22), enquanto os servidores públicos ocupavam a sessão plenária para acompanhar a votação dos parlamentares.

A fala ocasionou vaias dos professores, que pleiteiam reajuste de 33,24% conforme a Lei Federal do Piso Nacional do Magistério. A Prefeitura havia mandado para a Câmara uma proposta de reajuste de 10,18%, que acabou sendo aprovada por maioria.

Ao fazer uso da palavra, o vereador, que é da base do governo do prefeito Ednaldo Lavor (PSD), afirmou que os professores presentes na Câmara Municipal estariam fazendo “politicagem”, ao reinvidicar a adequação salarial.

“É muito triste; vocês devem dar exemplo de educação, tenham educação, vocês estão dando mau exemplo na Casa”, afirmou o parlamentar.

Rômulo disse ainda que os professores estariam pedindo o que estaria acima do direito da classe e sugeriu que outras categorias do funcionalismo público seriam prejudicadas.

“O município não só tem vocês como funcionários, não. Tem a Saúde, o pessoal do Demutran, de todos os cargos. Vocês são muito gulosos, vocês se acham o tal, nós aqui não temos medo de zoada”, disse o vereador ao microfone. Por fim, o parlamentar do PSD chamou os professores de mal educados. O discurso provocou risos de outros vereadores, apesar da seriedade da discussão.

A postura do parlamentar repercutiu nas redes sociais e gerou nota de repúdio do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Iguatu (SPUMI). A entidade classificou a postura como “infame” e disse ter dificuldades de usar a tribuna da Casa para discutir assuntos sensíveis à categoria.

A reportagem tentou contato com a presidente da Câmara, vereadora Eliane Braz (PSD), esposa do prefeito Ednaldo Lavor, mas não obteve sucesso até a publicação da matéria.

A Direção Executiva da Central Única dos Trabalhadores (CUT-CE) também se manifestou sobre o assunto e repudiou a fala do parlamentar.

“Os ataques aos trabalhadores e trabalhadoras que estavam ali lutando pela garantia de um direito conquistado, são condutas antissindicais, totalmente ilegais, pois violam o direito fundamental à liberdade sindical”, disse a entidade em nota.

O vereador Rômulo Fernandes foi procurado pela reportagem, mas não atendeu as ligações.

Diário do Nordeste

Deixe seu comentário

Mais notícias

Publicidade