Terceira onda da Covid-19 em Fortaleza ‘pode estar próxima do fim’, diz prefeitura

Foto: Fabiane de Paula/ SVM

A terceira onda da pandemia em Fortaleza “pode estar próxima do fim”, afirma a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) no boletim epidemiológico divulgado na noite desta segunda-feira (21). Conforme a pasta, há indicativos que sugerem uma “forte tendência de redução da transmissão” do coronavírus.

De acordo com a Secretaria da Saúde, nas últimas quatro semanas, houve diminuição nos atendimentos por síndrome gripal em postos de saúde e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), além da queda no número de casos e da positividade dos exames.

A média móvel de casos atualmente na cidade está em 48,6 casos em média a cada dia. Há duas semanas, em 5 de fevereiro, a média móvel era de 469,9 casos por dia; ou seja, houve redução de mais de 90%. Para a Prefeitura, isso confirma “um decaimento consistente e rápido, quando comparamos ao referido pico da média da terceira onda”.

O pico desta terceira onda foi registrado no dia 19 de janeiro deste ano, quando foram contabilizados 3.424 casos em média por dia.

A proporção de positividade nos testes RT-PCR realizados em moradores de Fortaleza, cujas análises foram feitas por laboratórios da rede pública, caiu para 7,5%. Isso significa que, a cada 100 exames, pouco menos de oito pessoas testam positivo.

Com relação aos óbitos provocados pela Covid, a Prefeitura afirma que, após um aumento no indicador em janeiro provocado pela variante ômicron, “a curva volta a tendência de estabilização em fevereiro”. Atualmente, a média móvel de mortes pela doença é de 2,7 óbitos a cada dia.

Ceará em baixa alerta

A taxa de ocupação de leitos de UTI Covid-19 no Ceará voltou ao nível de alerta baixo na semana passada. O aumento entre janeiro e fevereiro ocorreu, conforme autoridades sanitárias, em decorrência da variante ômicron, no que ficou conhecida como a terceira onda da doença no estado.

De acordo com a Fiocruz, o índice de ocupação dos leitos de UTI públicos para pacientes com a enfermidade saiu de 73% para 59% em uma semana. A fundação observou que as taxas caíram pelo menos cinco pontos percentuais em 15 estados, demonstrando uma tendência de finalização da onda epidêmica.

A capital Fortaleza, por sua vez, também apresentou redução no índice de internações em UTIs por causa da Covid-19. Conforme a Fiocruz, a taxa retrocedeu de 86% para 70%. Contudo, conforme os critérios apontados pela fundação, o município ainda está em situação de alerta intermediário. Uma semana antes, Fortaleza estava em alerta crítico.

Conforme a entidade, os números de internações desta terceira onda só não foram tão altos graças à campanha de vacinação, que impediu maiores percentuais de casos críticos e graves, internações e óbitos.

G1-CE

Deixe seu comentário

Mais notícias