Cidadania e PSDB fecham acordo para federação nas eleições

Foto: Reprodução

O Diretório Nacional do Cidadania decidiu em votação, que seguirá para a eleição nacional de 2022 junto com o PSDB. Os presidentes dos dois partidos, Roberto Freire e o tucano Bruno Araújo, vinham costurando o acordo em torno do nome do governador paulista João Doria como candidato à Presidência da República.

Este é o primeiro movimento formal de apoio de um partido na decisão do xadrez eleitoral para o Planalto em 2022. Conversas dos tucanos seguem com União Brasil e MDB.Com a criação das federações, válidas a partir da eleição deste ano, os partidos que decidirem se unir terão a obrigação de permanecerem juntos durante os quatro anos de mandato tanto nas eleições majoritárias (presidente, governador), quanto nas proporcionais (deputados). De acordo com decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), as legendas têm até o dia 31 de maio para registrar federações.

A decisão

Foram 56 votos a favor da união com os tucanos, 47 por uma aliança com o PDT e 7 abstenções. A possibilidade de se federar com o Podemos nem sequer avançou para o segundo turno da votação.
Embora a legenda tenha mantido a pré-candidatura do senador Alessandro Vieira (SE) ao Palácio do Planalto, a decisão pode afetar suas pretensões, já que na pesquisa PoderData da última quarta-feira (16) ele aparece com apenas 1% das intenções de voto.

“A minha pré-candidatura foi mantida por unanimidade e a opção pela tentativa de federação com o PSDB atingiu o número mínimo de votos”, disse o senador ao Estado de S. Paulo.
De acordo com Vieira, a negociação para decidir quem será o candidato da federação “virá mais adiante”, enquanto a assessoria de Doria disse, em nota, que o acordo foi costurado em torno do nome do governador paulista.

Se o PSDB também fechar acordo com o MDB, o destino da senadora Simone Tebet (MS) também poderá mudar. Pré-candidata da legenda ao Planalto, ela não pontuou na pesquisa do PoderData.
Nesse caso, os tucanos cogitam oferecer a ela a vaga de vice, embora o MDB também possa reivindicar a cabeça de chapa se Doria não deslanchar nas pesquisas. O governador tem 3% das intenções de voto, segundo o PoderData.

UOL

Deixe seu comentário

Mais notícias

Publicidade