Tasso Jereissati diz que Capitão Wagner é decepção para ele

Foto: Júlio Caesar

O senador Tasso Jereissati (PSDB) é o entrevistado das Páginas Azuis do O POVO na próxima segunda-feira, 3. Atualmente licenciado, ele chega ao último ano de mandato e não projeta ser candidato novamente. Na entrevista ao jornalista Henrique Araújo, o homem que foi três vezes governador do Ceará fala do que pretende para quando não exercer mais mandatos — ele evita falar em aposentadoria.

Tasso comenta as perspectivas para o PSDB no Brasil e no Ceará, da relação com os irmãos Ferreira Gomes. Analisa a política no Ceará e faz avaliação do governo do petista Camilo Santana (PT) e do prefeito José Sarto (PDT), em Fortaleza. Fala também das eleições do próximo ano.

O senador fala sobre Capitão Wagner (Pros), de quem foi aliado nas eleições de 2014, 2016 e 2018. Tasso fala da esperança que já depositou no hoje deputado federal, mas aponta seu desapontamento. Ele menciona a relação de Wagner com o presidente Jair Bolsonaro e momentos ocorridos durante a pandemia de Covid-19, quando o presidente visitou o Estado e promoveu aglomerações em Tianguá e Caucaia, no início deste ano. Apesar disso, Tasso afirma não se arrepender do apoio no passado, mas lamenta o rumo trilhado pelo ex-aliado, que se lançou pré-candidato a governador.

O tucano também comenta a saída de Geraldo Alckmin do PSDB e o que acha da aproximação do ex-governador de São Paulo com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

 

O Povo

Deixe seu comentário

Mais notícias

Publicidade