Covid-19: vacinação de crianças de 5 a 11 anos deve começar em janeiro de 2022

Foto: Divulgação

Crianças com idade entre 5 e 11 anos poderão ser imunizadas contra a Covid-19 no próximo mês de janeiro. Segundo o Ministério da Saúde, a vacinação deve ter início caso a pasta mantenha sua recomendação atual após o fim da consulta pública sobre o tema. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a vacinação desta faixa etária com o imunizante da Pfizer/BioNTech no último dia 16.

Conforme trecho de nota do Ministério, a pasta formalizará sua decisão no dia 5 de janeiro, após ouvir a sociedade. O posicionamento oficial declarado em consulta pública no dia 23 de dezembro é pela inclusão das crianças de 5 a 11 anos no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO).

Ativa até o próximo dia 2 de janeiro, a consulta foi iniciada pelo Ministério por meio de um formulário online, na plataforma Microsoft Office. No entanto, usuários que tentaram responder à pesquisa sobre a vacinação infantil relataram que a plataforma apresentava problemas técnicos para computar as respostas. O sistema se mostrava ainda deficiente quanto à segurança de dados, não apresentando mecanismo antifraude.

A pasta informou, no dia seguinte à publicação da consulta, que “devido ao grande interesse da população” na pesquisa sobre o tema foi necessária a migração para a plataforma Gov.br. Usuários podem responder às perguntas após efetuar acesso ao portal.

O Ministério afirmou, no dia de abertura da consulta, que a vacinação de crianças não deve ser compulsória, e, para a aplicação do imunizante, “será exigida uma prescrição médica e autorização dos pais ou responsáveis, mediante assinatura de termo de consentimento”.

Além disso, a inclusão dessa faixa etária no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação deverá priorizar crianças com deficiência permanente ou comorbidades, bem como aquelas que vivem com pessoas com alto risco para evolução grave de Covid-19. Para crianças sem comorbidade, a ordem deverá ser decrescente de acordo com a idade.

No Ceará, o governador Camilo Santana (PT) se posicionou contrário à decisão do Ministério e afirmou que o Estado irá vacinar crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19 conforme a posição do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), que anunciou que os estados não irão exigir receita médica para a imunização de crianças.

Até a semana passada, pelos menos outros 12 estados informaram que não seguirão a indicação de Queiroga: Paraíba, Rio de Janeiro, Bahia, Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais, Maranhão, Espirito Santo, Pará, Acre, Paraná e Goiás.

 

O Povo

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais notícias