Câmara de Juazeiro do Norte aprova Projeto de Lei que cria cargos de chefe de gabinete e secretário parlamentar com impacto financeiro de 1,5 milhão por ano

Foto: Reprodução

A Câmara de Juazeiro do Norte realizou nesta terça-feira(21) a última sessão do ano de 2021 e aprovou em sessão extraordinária o projeto de lei, de autoria da Mesa Diretora, que cria novos cargos de livre indicação dos vereadores, para Chefe de Gabinete e Secretário Parlamentar. Foram 13 votos favoráveis, um voto contrário da vereadora Jaqueline Gouveia e três abstenções dos vereadores Fábio do Gás, Márcio Joias e Rafael Cearense

Votaram a favor os vereadores Adauto Araújo, Rosane Macedo, Cicinho Cabeleireiro, Raimundo Júnior, Lucas do Horto, Romão França, Janu, Jesualdo Duarte, Sargento Nivaldo, David Araujo, Ivanildo Roseno, Claudionor Mota e Yanny Brena. Os vereadores Auricélia Bezerra, Firmino Calu e Lunga faltaram

Com a aprovação, o custo anual será de R$ 1,5 milhão aos cofres da Câmara. Os novos cargos aprovados são chefe de gabinete e secretário parlamentar, com salários de R$ 3,5 mil e R$ 2,5 mil.

Por outro lado, o vereador Janu denunciou que a Diretora na Escola Nossa Senhora de Fátima no Carás do Umari, está usando tornozeleira eletrônica. E apresentou provas que a Professora Cosma foi condenada pelo crime de colocar pessoa em condição escrava, contra uma venezuelana.

O Comandante do CIOPAER e outros componentes receberam homenagem da Câmara Municipal. O Coronel Sawaki agradeceu o reconhecimento pela casa do povo.

O vereador Adauto Araújo destacou a aprovação do REFIS e o Vereador Jesualdo Duarte pediu a unificação das placas de redução de velocidade em vez de 40 km por hora, que seja de 50 em toda cidade.

O vereador Bilinha fez um balanço dos 33 dias como Presidente da Câmara e falou ainda Balcão do Cidadão, e de novos gabinetes com novos servidores que serão contratados.

Por fim, o Representante dos moradores do bairro Lagoa Seca Petrônio Alencar foi até a Câmara denunciar sobre a situação caótica que se tornou o denominado Pólo Gastronômico da lagoa Seca, com o surgimento de inúmeros bares e restaurantes que passaram a se instalar naquele bairro.

Moradores estão indignados e revoltados com o altíssimo volume, que pela lei é 60 decibéis a partir das 22 horas. Os bares da lagoa Seca chegam à mais de 90 decibéis. E muitos querem vender seus imóveis.

A desordem é enorme nas noites de quinta,sexta e sábado. O tormento é enorme. Petrônio Alencar salientou que não é contra o funcionamento dos bares, e surgimento de outros, pois geram renda, empregos, impostos e trás diversão. Mas que a Amaju precisa agir, cumprir a lei, fiscalizar, notificar e multar os proprietários que descumprirem a lei. ” Não se pode ter lucro, tirando a paz e o sossego da coletividade.”

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais notícias

Publicidade